quatro minutos depois das sete

hora de partida para outro lado qualquer...

segunda-feira, outubro 08, 2007

"Pequena Dor..."

.
.
É o nome de uma grande canção do Tê e do Veloso que este musical recupera.
Grandes arranjos, boas vozes... A não perder!!!
E já agora:
.
"A tua pequena dor
Quase nem sequer te dói
É só um ligeiro ardor
Que não mata mas mói
.
É uma dor pequenina
Quase como se não fosse
É como uma tangerina
Tem um sumo agridoce
.
De onde vem essa dor
Se a causa não se vê
Se não é por desamor
Então é uma dor de quê?
.
Não exponhas essa dor
É preciosa é só tua
Não a mostres tem pudor
É o lado oculto da lua
.
Não é vício nem costume
Deve ser inquietação
Não há nada que a arrume
Dentro do teu coração
.
Talvez seja a dor de ser
Só a sente quem a tem
Ou será a dor de ver
A dor de ir mais além?
.
Certa é ser a dor de quem
Não se dá por satisfeito
Não a mates guarda-a bem
Guardada no fundo do peito"
.

5 Comments:

  • At 12/10/07 15:54, Anonymous Anónimo said…

    aaaaaaaaaaaaaaaiiiii....

    pois que é, pois que é...
    uma coisa tão simples de explicar. Assim pelo menos parece nesta letra.
    Quanto ao 'pudor' de não 'expor' esta pequena dor, e apesar das imensas discussões em torno deste assunto, continuo a achar que adianta sempre expo-la com quem 'fala a mesma lingua' que nós. Não é bom guardar estas inquietações, angustias, duvidas, desanimos...
    É um 'monstro' com muitas caras, muitos sabores e aromas. Nem sempre maus eles se apresentam, daí talvez eu insista na necessidade da partilha. A verbalização, com quem nos compreende, obriga-nos por vezes a ver o 'bicho' de outra perspectiva...
    De repente soie-me em 'repeat'.... será que já tive esta conversa?!

    aaaaaaaaaaaaaaaiiiii....

     
  • At 12/10/07 16:20, Blogger SE said…

    Pois é... dor, angústias, amores e desamores, pudor e inquietação... Partilhar ou não partilhar?! Esconder ou não esconder?! "Quantas faces ocultas na face visível da lua?"

     
  • At 12/10/07 17:05, Anonymous Anónimo said…

    E QUANDO OS 'COMENTS' GANHAM A IMPORTANCIA DE UM 'POST'

    pois que a internet tem destas coisas, um mundo que possibilita a apropriação, o que é meu agora é de todos em segundos...Afinal não é só a Arte que goza deste estatuto.
    Bloggar não poderá cada vez mais ser considerado uma arte(?), tudo implica dedicação e qualidade. A receptividade é apenas o resultado disso mesmo...

    deixo-vos com mais um introspecção e vou ao que me trouxe a fazer um novo coment; "Quantas faces ocultas na face visivel da lua?"?

    Bolas, isto está cada vez mais dificil....confesso que apesar de considerar a vida um desafio começo-me a enredar-me em tantas linhas desta complicadíssima teia. Parafraseando a madre teresa, a particularidade destas linhas reside no facto de que, em cada ponto de chegada de uma delas, existe também um de partida.
    Será que isto responde à questão deixada por SE???

    tou em crer que sim.

    aaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiii.....

     
  • At 12/10/07 17:22, Blogger SE said…

    Julgo que vem mesmo a propósito:

    «Quem põe certezas na vida
    Facilmente se embaraça
    Na vil comédia do amor;
    Não vale a pena ter alma
    Porque o melhor é andarmos
    Mentindo seja a quem for

    «Gosto de saber que vives
    Mas não perdi a cabeça
    Nem corro atrás do desejo;
    Quem se agarra muito ao sonho
    Vê o reverso da vida
    Nos movimentos dum beijo.

    «Ando queimado por dentro
    De sentir continuamente
    Uma coisa que me rala;
    Nem no meu olhar o digo
    Que estes segredos da gente
    Não devem nunca ter fala.

    «Talvez não saibas que o amor,
    Apesar das suas leis,
    Desnorteia os corações;
    - Complicadíssima teia
    Onde se perde o bom senso
    E as mais sagradas razões.»

    “Complicadíssima Teia”, de António Botto

     
  • At 12/10/07 18:15, Anonymous Anónimo said…

    aaaaaaaaaaaaaiiiiiiiii.....

    e agora? sim, que podemos nós fazer?
    queremos realmente fazer alguma coisa?
    essa coisa da Alma é sempre tão complicada. Mentir, uma opção(?), por vezes uma necessidade(?), o melhor será não andar por aí mentido a nós próprios.
    O sonho é o que nos resta, tem que ser o que 'comanda a vida', o que nos faz optar (andar, mesmo que para os lados)ainda que por vezes possamos chegar à conclusão que tomamos o caminho errado. Vemos o 'reverso da vida'...mas optamos, e sonhamos!!!!
    Os segredos que não têm fala têm que existir, claro que sim, haverá sempre coisas que são exclusivamente nossas.
    Importante creio que seja, não mantermos a nossa vida 'em segredo'....essa é para ser vivida, e viver implica partilhar....Pois!
    Que os nossos medos e os nossos anceios não se apuderem da nossa vida!!!!

    Uma grande é o que eu vos desejo.

     

Enviar um comentário

<< Home